Início > Diversos, Linux > Instalando o JIRA no Linux

Instalando o JIRA no Linux

Olá gurizada,

Para quem não conhece, o JIRA é um bugtracker produzido pela Atlassian. É um software proprietário, e arrisco dizer que ele pode ser utilizado para controle de quase qualquer tipo de ocorrência. Existem licenças starter a partir de 10 dólares anuais para 10 desenvolvedores, mas o preço sobe para números maiores do que isso. Mesmo assim ainda vale a pena.

Como há anos não escrevo nada técnico por aqui, vou ensiná-los a fazer uma instalação básica do JIRA. Esse mesmo artigo pode ser utilizado para instalar o JIRA em algum outro UNIX que possua Oracle JDK. So sorry, NetBSD.

Esse mesmo artigo pode ser utilizado para instalação de qualquer versão moderna (e hoje, fevereiro de 2013, suportada) do JIRA. Isso é, 4.3.x, 4.4.x, 5.0.x, 5.1.x e 5.2.x.

Pré-requisitos

– Banco de Dados

O JIRA requer um banco de dados. Ele é compatível com MySQL 5.1+, PostgreSQL 8.4+, MS SQL Server 2005/2008 e Oracle 11G. Versões mais antigas suportavam DB2 e Sybase, no entanto, consolidou-se apenas nesses quatro. Para esse artigo vou utilizar o PostgreSQL, que é o banco de dados open source mais rápido, robusto e decente hoje desenvolvido.

Importante frizar que o JIRA também suporta o HSQLDB, um banco de dados Java e que funciona em memória. No entanto, o mesmo não pode (nem deve) ser utilizado em produção. Na tela de instalação pode-se optar por utilizar o HSQLDB, mas sério, não faça isso. É complicado extrair dados diretamente dele.

– JDK

O JIRA é desenvolvido em JAVA e requer Oracle JDK para funcionar. O OpenJDK/IcedTea  não é suportado pela Atlassian, e causa vários problemas em tempo de execução (isso ocorre pois o OpenJDK implementa métodos de maneira diferente). Não vou abordar a instalação do JDK no Linux, e assumo que ele já estará corretamente funcionando. Confirme executando os seguintes comandos:

java -version
javac -version

O JIRA 4.3.x, 4.4.x, 5.0.x e 5.1.x requer Oracle JDK 1.6.18 ou superior mas não funciona com Oracle JDK 1.7. E, o JIRA 5.2.x suporta tanto Oracle JDK 1.6.18 quanto Oracle JDK 1.7. Então, verifique se a versão instalada é oficialmente suportada pelo JIRA. Recomendo sempre a última versão.

Estrutura de diretórios

Não todos, mas a maioria dos softwares da Atlassian requerem um diretório home (referenciaremos como $JIRA_HOME) fora do diretório de instalação (referenciaremos como $JIRA_INST). Nele o JIRA manterá os plugins customizados (que não são built-in), logs, diretório temporário e diretório de indexes. Como estamos instalando no Linux (ou em algum UNIX), vou utilizar a seguinte estrutura de diretórios:

/opt/atlassian/instances/jira527
/opt/atlassian/homes/jira527

O nome “jira527” equivale a versão 5.2.7. Recomendo fortemente manter essa nomenclatura para facilitar as coisas. Recomendo também a criação de um usuário/grupo “jira” no sistema operacional e que os diretórios acima sejam atribuídos a eles. Dessa forma não será preciso executar o JIRA como root e todas as demais implicações de segurança que isso poderia trazer.

Iniciando a instalação

Faça seu cadastro em http://myatlassian.com e compre sua licença (ou solicite uma licença evaluate). Após isso, faça o download do Tarball Standalone Package. Este é um pacote .tar.gz contendo um Tomcat previamente configurado com a versão equivalente do JIRA.

1 – Descompacte o tarball e edite o arquivo jira-application.properties

Descompacte o arquivo de instalação (tar -zxvf …) dentro de /opt/atlassian/instances/jira527. As versões modernas do JIRA (4.3 e superior) dispensam a maioria dos parâmetros anteriormente setados em arquivos de configuração. A única parada “obrigatória” (entre aspas, pois isso pode ser setado também via argumento do comando java) é o arquivo $JIRA_INST/atlassian-jira/WEB-INF/classes/jira-application.properties. Nele precisaremos setar o diretório home do JIRA:

jira.home=/opt/atlassian/homes/jira527

Salve o arquivo e continuemos a instalação.

2 – Configuração do banco de dados

A próxima etapa é a configuração do PostgreSQL. Vamos criar um usuário específico para o JIRA:

root# su - postgres
postgres$ createuser -S -d -r -P -E jirauser
(insira uma senha bem bonita aqui :))

E agora, vamos criar o banco de dados para o JIRA cujo dono será o “jirauser”:

postgres$ createdb --encoding utf8 -O jirauser jira527

3 – Starte o JIRA e complete a instalação no Browser

Execute o script de startup:

jira$ /opt/atlassian/instances/jira527/bin/startup.sh

E, se quiser assistir ao sistema subindo…

jira$ tail -f /opt/atlassian/instances/jira527/log/*

Agora, via browser, acesse o endereço http://localhost:8080 e termine a instalação:

3a – Basic Settings

Server Language: Mantenha em inglês;
Database Connection: Clique em “External” e adicione as informações do banco de dados (PostgreSQL). Os dados serão os seguintes:
Hostname: localhost (ou o IP do servidor de banco de dados)
Port: 3306 (nem precisa mexer)
Username: jirauser
Password: Senha que cadastramos no ítem 02;
Database: jira527
Scheme: public (não mexa também).

Clique em testar, e se tudo der certo, clique em “Next”.

3b – Application Properties

Application Title: Coloque algo como “JIRA da Minha Empresa :)” (é possível mudar depois).
Mode: Se tu quiser que qualquer um possa ver as issues sem qualquer restrição, sete “Public”. Se tu quiser que somente usuários que possuam login possam ver o conteúdo, sete “Private”.
Base URL: Complete com o nome FQDN do server. Algo como “http://jira.minhaempresa.com” ou “http://minhaempresa.com/jira”. Se ainda não tiver nenhum DNS corretamente configurado, coloque então o IP do servidor — “http://192.168.10.1:8080” por exemplo.
License Key: Coloque a senha que tu gerou em myatlassian.com

3c – Administrator Account

Preencha com um usuário e senha que será usado como administrador.

3d – Outgoing Mail Server

Mantenha “Set up my outgoing mail server later” marcado e clique em Finish.

Após isso a instalação está concluída.🙂 Logue na instância e brinque sem medo de ser feliz.

JIRA 5.2.0

Categorias:Diversos, Linux
  1. 31 de março de 2013 às 12:38 am

    Existe alguma opção totalmente livre para este mesmo fim, ou pelo menos com as principais funcionalides deste?

  2. 11 de janeiro de 2014 às 12:18 am

    When I originally commented I clicked the -Notify me when new feedback are added- checkbox and now each time a comment is added I get 4 emails with the same comment. Is there any means you possibly can remove me from that service? Thanks!

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: